ATIVIDADES EM DESTAQUE

A Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) realiza nos dias 24 de abril e 3 de maio a segunda rodada de roadshow para apresentar a proposta de edital para concessão do Parque das Águas de Caxambu. Os interessados em participar deverão enviar e-mail para parquebalneariocaxambu@codemge.com.br até 3/5/2024 solicitando agendamento. O e-mail deverá conter:
a) identificação da empresa interessada (CNPJ);
b) identificação dos representantes (nome completo e meios de contato) e
c) indicação de pelo menos dois horários para a realização da reunião.

Importante atentar para as seguintes orientações:
• Cada reunião terá duração de 1 (uma) hora.
• Não serão realizadas reuniões sem prévio agendamento.
• Cada interessado poderá realizar apenas um agendamento, sendo vedada a solicitação de horário por um ou mais membros da mesma organização, empresas coligadas, controladas ou controladoras.
• Havendo necessidade de mudança do horário, diante da indisponibilidade das partes envolvidas, as reuniões poderão ser reagendadas em comum acordo.

As reuniões tem por objetivo fomentar a divulgação do projeto visando estimular eventuais interessados na licitação a avaliar e realizarem levantamentos e estudos relativos ao objeto da concessão. Nas reuniões, serão apresentadas as premissas, metodologias e opções de modelagem utilizadas na estruturação do Projeto.

O material com as informações sobre a concessão está disponível na página Consultas Públicas, no site da Codemge.



Voltar

A Codemge patrocinou a participação de Minas Gerais na WTM Latin America, maior feira de turismo da América Latina realizada em São Paulo entre os dias 15 e 17 de abril. O evento reuniu participantes de toda a cadeia de viagens e turismo de vários países do mundo. O objetivo é fortalecer a internacionalização do destino Minas Gerais, atraindo mais turistas, o que estimula a economia da criatividade e amplia oportunidades de geração de emprego e renda.

“A Codemge é hoje, certamente, a maior parceira na promoção do turismo no Estado de Minas Gerais. A Companhia de Desenvolvimento do Estado de Minas Gerais tem que apoiar uma das nossas áreas de atuação que é justamente o turismo. Área para a qual a gente é vocacionado e que ainda tem muito espaço para desenvolver.”, afirmou o vice-governador do Estado, Professor Mateus, durante o evento.

“Promover o turismo, nossa querida Minas Gerais, suas belezas e riquezas, é também promover o desenvolvimento, oportunidades e negócios.”, comentou o Leonardo Bortoletto, vice-presidente da Companhia.

Ainda como parte da projeção de Minas Gerais nos cenários nacional e internacional como rota turística fomentando o desenvolvimento econômico, a Companhia lançou o ExportaMinas. Esse programa será responsável pelas exportações de produtos mineiros e terá como primeiro produto a abertura do primeiro hub de café do Brasil nos EUA. A divulgação foi feita na Specialty Coffee Expo, uma das maiores e mais prestigiadas feiras de cafés do mundo que aconteceu entre os dias 12 e 14 de abril, em Chicago, nos Estados Unidos.

O ExportaMinas também foi apresentado pelo vice-presidente da Codemge, ao lado Professor Mateus, para o público presente na WTM.



Voltar

A Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) participou de painel no evento Imersão Indústria, sobre a importância do setor produtivo como impulsionador do Estado. A iniciativa reuniu líderes empresariais no Minascentro, em Belo Horizonte, além de influenciadores, jornalistas e líderes de sindicatos patronais. O vice-presidente da Companhia, Leonardo Bortoletto, foi o responsável pela palestra da Empresa no encontro, realizada na última sexta-feira (12/4).

Para todos verem: vice-presidente da Codemge, Leonardo Bortoletto (ao centro) participa de painel no evento Imersão Indústria

Em sua fala, Bortoletto destacou a atuação da Codemge na busca por novos investimentos e o papel da Companhia como elo importante entre a iniciativa privada e o setor público. Ele ressaltou as concessões e parcerias público-privadas (PPPs), afirmando que a Empresa tem como missão compreender as necessidades e propor soluções. Entre os casos de sucesso, o vice-presidente enfatizou a recente concessão da Serraria Souza Pinto, modelada com participação da Codemge e viabilizada com celeridade e adequação aos moldes da nova lei de licitação e contratos.

Para todos verem: Leonardo Bortoletto apresenta palestra da Codemge no evento

Outras ações de fomento à economia mineira e à propulsão da indústria foram realçadas pelo gestor. Além dele, integraram o painel o gerente de compras do Iveco Group para a América Latina, Reinaldo Silva, e o diretor de licenciamento da Vale, Lauro Amorim.

O Imersão Indústria ocorreu entre os dias 10 e 12 de abril. Promovido pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), pelo Serviço Social da Indústria (Sesi) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), o evento tem patrocínio da Codemge. Em parceria com a Invest Minas, a Companhia apresentou ao público um estande promocional no encontro, reforçando a atuação do Estado de Minas Gerais no desenvolvimento socioeconômico, em favor da população mineira.

Para todos verem: Leonardo Bortoletto com outros participantes do Imersão Indústria

(Crédito das fotos: Fiemg/Lucas Nolasco, Caio Tarcia e Camila Coelho)



Voltar

Por Thiago Toscano

Imagine entrar em um hospital público e se deparar com um ambiente que não só atenda às suas necessidades médicas, mas também ofereça conforto e tecnologia comparáveis aos melhores hospitais privados. Visualize ainda uma escola pública tão convidativa que atraia não apenas alunos da localidade, mas também famílias de maior poder aquisitivo. Agora, considere a experiência de abrir a porta de um banheiro em uma rodoviária e se surpreender com um ambiente tão limpo, esteticamente agradável e bem-cuidado quanto o de grandes shoppings.

Essas não são utopias distantes, mas realidades tangíveis em nosso país. Tome como exemplos o Hospital Público de Salvador, as Unidades Municipais de Educação Infantil (Umeis) em Belo Horizonte e a própria rodoviária de Belo Horizonte. Esses são apenas alguns exemplos de como as Parcerias Público-Privadas (PPPs) estão revolucionando a forma como experimentamos serviços essenciais.

Ao unir a eficiência do setor privado com os objetivos sociais do setor público, as PPPs estão elevando a qualidade dos serviços públicos a patamares antes inimagináveis. É hora de reconhecer que podemos transformar o básico em excepcional, garantindo a todos acesso universal a serviços de alta qualidade. No entanto, garantir o sucesso de uma PPP não é algo mágico. Requer muito trabalho, planejamento e união de esforços. É preciso seguir uma série de etapas, começando com uma análise de viabilidade abrangente, que é a espinha dorsal do processo, fornecendo uma base sólida sobre a qual todas as decisões subsequentes são tomadas.

Estudos técnicos: é avaliada a viabilidade estrutural e a sustentabilidade do projeto, enfatizando a eficiência energética e o mínimo impacto ambiental.

Avaliações econômicas: são realizadas análises aprofundadas para verificar a sustentabilidade financeira, incluindo projeções de custos e avaliações de riscos. Uma modelagem financeira sólida é essencial para atrair investidores.

Avaliações regulatórias: são executados estudos de conformidade do projeto com todas as legislações aplicáveis, para facilitar a obtenção de aprovações necessárias e prevenir obstáculos legais e regulatórios.

Comunicação efetiva: é crucial a promoção de diálogos transparentes com todos os públicos envolvidos, incluindo investidores, comunidades locais e órgãos governamentais, desde o início.

Embora seja tentador pensar nas PPPs como soluções padronizadas, cada uma delas tem características únicas. No entanto, o princípio fundamental para o sucesso dessas parcerias permanece: o equilíbrio entre o retorno financeiro desejado pelo setor privado e o cumprimento dos objetivos sociais estabelecidos pelo setor público.

PPPs em Minas Gerais: um modelo de sucesso

Em Minas Gerais, a sinergia entre a Codemge e a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra) ilustra o sucesso dessa abordagem. A concessão da Serraria Souza Pinto, em BH, finalizada recentemente, é um bom exemplo. Além de buscar a melhoria na infraestrutura e a preservação histórica, o projeto almeja a otimização operacional por meio de uma gestão especializada. Essa experiência se soma a outros casos de sucesso, incluindo a gestão de rodovias estaduais, o Terminal Rodoviário de Belo Horizonte, hospitais regionais e projetos de grande envergadura, como o aeroporto da Pampulha e o rodoanel metropolitano. Juntos, eles somam mais de R$ 20 bilhões em investimentos, o que evidencia o potencial das PPPs em promover desenvolvimento sustentável por meio de uma gestão eficiente, social e inovadora.



Voltar

A Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais, Codemge, firmou, em 8/4, um acordo de cooperação técnica com o Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos – UNOPS. O objetivo é a estruturação de parcerias na área de infraestrutura social e desenvolvimento urbano e regional.

O UNOPS, organismo das Nações Unidas especializado em infraestrutura e gestão de projetos, dará assistência técnica especializada à Codemge na modelagem econômico-financeira, gestão e financiamento de infraestrutura e serviços públicos, além de auxílio para modelagem jurídica de parcerias e manutenção e operação de infraestruturas.

Presente em mais de 80 países e com atuação no Brasil desde 2012, o UNOPS tem como missão ajudar os países a alcançarem o desenvolvimento sustentável. Sua visão tem como foco uma infraestrutura apropriada, sustentável e resiliente, por meio do uso eficiente e transparente de recursos públicos.

“Buscamos essa parceria para realizarmos modelagens cada vez mais eficazes, em alinhamento com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Com a expertise do UNOPS, a Companhia ganha mais excelência e agilidade em seus processos, além de trazer para as entregas resultados alinhados com Igualdade de Gênero, Trabalho Decente e Crescimento Econômico, Redução das Desigualdades, Cidades e Comunidades Sustentáveis, entre outras premissas dos ODS”, salienta Daniel de Lima, gerente de Concessões e Monetização de Ativos da Codemge.

Segundo Sérgio Lopes Cabral, Diretor de Ativos e Mercado, “a parceria acontece em um momento estratégico para a Companhia, que vem desenvolvendo relevantes projetos de infraestrutura para o desenvolvimento econômico e social dos munícipios do estado. Um parceiro com a relevância e a expertise do UNOPS contribui para melhores resultados e para a excelência que buscamos.”



Voltar

A Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais – Codemig, em seu compromisso com a transparência, esclarece as condições relativas ao uso da Sala Minas Gerais e a parceria subsequente com a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais – Fiemg. 

Em meados de 2023, a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais procurou o governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura, que detém o contrato de gestão com a Filarmônica – que continua vigente com todos os termos respeitados, assim como o termo de permissão de uso-, com a  intenção de encerrar o contrato de utilização da Sala Minas Gerais. 

A Secretaria concordou com o pedido, mas solicitou um prazo de seis meses para a busca de um novo parceiro. A solicitação foi aceita, com assinatura de um Termo de Permissão de Uso só até o meio deste ano, com cláusula resolutiva. 

Essa decisão, que partiu da própria Orquestra, antecedeu qualquer discussão com a Fiemg. Respeitando a importância da Filarmônica de Minas Gerais para o cenário cultural de nosso estado, a Codemge não só acolheu a decisão, mas também propôs à Fiemg que a Orquestra pudesse estender sua permanência até o final do ano. Esta solicitação foi prontamente aceita pela entidade demonstrando um compromisso compartilhado com o fomento à cultura mineira.

Destacamos que a Sala Minas Gerais continuará a hospedar as apresentações da Orquestra até o fim deste ano. Após esse período, embora a Orquestra tenha inicialmente solicitado o uso do espaço apenas até o meio do ano, ela poderá continuar utilizando a Sala Minas Gerais. Contudo, passará a negociar diretamente com a Fiemg o calendário de uso do espaço, assegurando que a Sala continue a ser um palco para atividades culturais inclusivas e diversificadas. 

A Codemig reitera seu compromisso com a promoção da cultura em Minas Gerais, fortalecido pela colaboração com a Fiemg e pelo apoio à decisão da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. Agradecemos à Orquestra por sua valiosa contribuição ao cenário cultural do estado e à Fiemg pela flexibilidade e parceria. Juntos, estamos empenhados em enriquecer ainda mais a vida cultural de Minas Gerais.



Voltar

A Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) foi sede do 1º Fórum de Discussões sobre Compliance Estatal em Minas Gerais, organizado por iniciativa das gestoras de compliance da Codemge e da Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais (Cohab Minas). O evento, realizado na Cidade Administrativa na última sexta-feira (5/4), foi formado por representantes de diversas empresas estatais mineiras.

Para todos verem: representantes de diversas estatais mineiras encontram-se na Codemge

“A iniciativa teve como propósito estabelecer norteadores de boas práticas, permitindo o compartilhamento de conhecimento e experiências entre os participantes”, pontuou a gerente de Integridade, Conformidade e Gestão de Riscos, Misma de Paula. De acordo com ela, o encontro foi muito proveitoso e oportuno, estreitando as relações entre as empresas controladas diretamente pelo Estado, em prol da cultura da ética e da integridade na gestão pública.

“Um dos principais motivadores para esse fórum foram as dificuldades comuns e que sempre demandavam contato um com o outro para troca de experiências e boas práticas”, comentou pontuou a gerente de compliance da Cohab Minas, Pamella Nunes Clementino.

Além da Codemge e da Cohab Minas, estiveram representados no fórum inaugural os gestores de compliance do seguintes órgãos: Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG); Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais (Prodemge); Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig); Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater); Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig); Empresa Mineira de Comunicação (EMC); Minas Gerais Participações (MGI); Minas Gerais Administração e Serviços (MGS); Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig); e Invest Minas. A Secretaria de Estado de Infraestrutura, Mobilidade e Parcerias (Seinfra) também participou.

A periodicidade dos encontros será bimestral. Entre as pautas a serem tratadas nos próximos eventos, estão: Sistema de Prevenção de Conflito de Interesses (SPCI), correição administrativa, plano de integridade e governança na área de compliance, por exemplo.

Originária do inglês (‘to comply’), a palavra compliance significa estar em conformidade, agindo de acordo com um conjunto de leis, normas e regras. No âmbito profissional, abarca o alinhamento às políticas e diretrizes corporativas, envolvendo todas as pessoas envolvidas com o negócio.

Codemge Íntegra

Desde 2021, a Companhia desenvolve o Programa de Integridade Codemge Íntegra, uma forma estratégica de gestão das ações corporativas, buscando resguardar o tripé institucional: missão, visão e valores. Além disso, apresenta os instrumentos necessários para mitigar riscos e garantir o cumprimento dos objetivos organizacionais. Saiba mais na seção “Codemge Íntegra” deste portal.



Voltar

Sala Minas Gerais e Mineiraria terão gestão compartilhada

A Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) e o SESI Minas assinaram na manhã desta sexta-feira, 5/4, acordo de cooperação técnica para gestão compartilhada da Sala Minas Gerais e do Espaço Mineraria. Ambos pertencem ao Centro Cultural Presidente Itamar Franco, em Belo Horizonte.

“A parceria com o SESI tem como objetivo promover e valorizar ainda mais a cultura em nosso Estado. Estávamos em busca de uma parceria que pudesse dinamizar a utilização desses espaços e realizar uma gestão mais assertiva com uma melhor ocupação tanto da Sala Minas Gerais quanto do espaço da Mineraria. Queremos entregar o melhor serviço possível para população.”, salienta Thiago Toscano, presidente da Codemig.

O Acordo de Cooperação Técnica entre SESI Minas e Codemig terá validade de 60 meses, a partir deste mês de abril, e contempla a gestão compartilhada da Sala Minas Gerais e da Mineiraria, bem como dos três pavimentos de estacionamento localizados no espaço.

A partir da parceria, o SESI Minas poderá explorar comercialmente os espaços sob gestão compartilhada para promoção de eventos culturais. No entanto, os espaços que são objeto do acordo continuam sendo de propriedade do governo de Minas, por meio da Codemig.

Além da Orquestra Filarmônica, a Sala Minas Gerais passará a contar com apresentações da Orquestra SESIMINAS, grandes produções musicais, nacionais e internacionais e espetáculos, eventos corporativos e celebrações empresariais. Já no espaço externo, a proposta é a realização de festivais de música, gastronomia, literatura, teatro, empreendedorismo, entre outros. Já o Espaço Mineiraria deve receber uma escola de Gastronomia do SENAI, além de eventos sociais.

Além da Sala Minas Gerais, atualmente, o SESI Minas administra, em Belo Horizonte, o Centro Cultural SESIMINAS BH, que conta com o Teatro SESIMINAS BH e o Teatro de Bolso SESIMINAS, e o SESI Museu de Artes e Ofícios (MAO).



Voltar

Nos dias 21 e 22 de março de 2024, a cidade de Caxambu, no sul de Minas Gerais, sediou a 1ª Conferência Regional de Águas, Biodiversidade e Unidades de Conservação. Realizado pela Associação de Engenharia, Arquitetura e Agronomia das Águas (AREA), e apoiado pela Prefeitura Municipal de Caxambu, o evento reuniu gestores e técnicos dos municípios da região, para discutir questões ambientais de grande relevância para o Sul de Minas. Foram 26 municípios inscritos e mais de 20 palestrantes. Oficinas e visita ao Parque das Águas de Caxambu também fizeram parte da programação.

Para todos verem: participantes da conferência visitam o Parque das Águas de Caxambu.

A Codemge participou da conferência por meio da Coordenação de Águas Minerais e Meio Ambiente da Gerência de Mineração e Meio Ambiente (Gemam), e o geólogo Filipe Lopes Chaves foi um dos palestrantes, apresentando o Projeto SIGA – Circuito das Águas.

Para todos verem: o geólogo Filipe Lopes Chaves apresenta o Projeto SIGA – Circuito das Águas durante a conferência.

Também participaram do evento outros órgãos municipais, estaduais e federais, incluindo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), os Ministérios Públicos Federal e Estadual, o Ministério do Meio Ambiente (MMA), a Polícia Ambiental e o Corpo de Bombeiros de São Lourenço, o Instituto Estadual de Florestas (IEF), o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Verde (GD4) e a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa).

Projeto SIGA – Circuito das Águas

O Projeto SIGA – Circuito das Águas atualizou e renovou a pesquisa técnico-científica sobre as águas minerais da região. Desenvolvido ao longo de 2018, por meio de contratação da Fundep, o estudo foi viabilizado mediante investimento da Codemge, de cerca de R$ 2 milhões.

Foram realizados estudos abrangentes sobre a origem e os fatores influenciadores das águas minerais na região de Caxambu, Conceição do Rio Verde, Cambuquira e Lambari. Multidisciplinar, o projeto englobou pesquisas sobre as rochas, o solo, a circulação e composição química das águas e o clima, e também sobre aspectos socioeconômicos do aproveitamento e manejo dos recursos hídricos da região.

A equipe do projeto contou com pesquisadores e técnicos vinculados à Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), à Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), à Universidade de São Paulo (USP), à Universidade Estadual Paulista (Unesp) e ao Observatório Nacional do Rio de Janeiro (ON).



Voltar

Consórcio vencedor será o responsável pela gestão do histórico prédio pelos próximos 20 anos

Foi definida a empresa que administrará a Serraria Souza Pinto via processo de concessão, em sessão pública de licitação realizada na última segunda-feira (25/3) no Palácio das Artes, em Belo Horizonte. O consórcio Nova Serraria foi o vencedor, com a proposta de R$ 650 mil, o que corresponde a 5,32% de ágio.

O diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge), Thiago Toscano, considera que a concessão, modelada com participação da Empresa, é um marco, pelo que ela representa e pela forma como foi estruturada, em tempo recorde, em conjunto com a Fundação Clóvis Salgado (FCS), a Secretaria de Infraestrutura, Mobilidade e Parcerias (Seinfra) e a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult).

Para todos verem: presidente da Codemge, Thiago Toscano, participa do ato que simbolizou o resultado da sessão pública

“Essa eficiência e trabalho conjunto demonstram que a Codemge é, sem dúvida, uma das melhores modeladoras de projetos de concessão do Brasil. O projeto foi realizado em conformidade com as diretrizes do Governo do Estado, para viabilizar investimentos e maximizar a operação do equipamento cultural. A iniciativa também vai possibilitar a modernização e a revitalização da Serraria, potencializando as atividades culturais e turísticas em Minas Gerais”, destacou. “A Codemge está muito satisfeita com o resultado desse trabalho dentro do novo posicionamento da empresa na frente de concessões e parcerias público-privadas. Estamos confiantes de que a Serraria terá muitos avanços e melhorias, com desempenho tão exitoso quanto ativos da Companhia que estão hoje concessionados”, completou Toscano.

“A Fundação Clóvis Salgado se orgulha de ser a primeira instituição do Brasil a realizar uma concorrência nos moldes da nova lei de licitação e contratos. É também motivo de muito orgulho o modelo arrojado de concessão de um equipamento cultural e de eventos que vai modernizar a relação com o público, o patrimônio e o setor da economia criativa em Belo Horizonte”, comemorou o presidente da FCS, Sérgio Rodrigo Reis.

Por meio do contrato e a partir das diretrizes da Fundação Clóvis Salgado, o consórcio será responsável pela operação das atividades da Serraria, como a realização de espetáculos, shows e demais eventos em geral, assim como pela eventual exploração de outras atividades econômicas relacionadas ao objeto, tais como bares, lanchonetes, restaurantes, lojas e camarotes, ampliando a vocação cultural e turística do equipamento e revitalizando o baixo centro de Belo Horizonte.

Além disso, o parceiro privado deverá realizar importantes intervenções na infraestrutura da Serraria. Os investimentos previstos para o imóvel somam, no mínimo, R$ 7 milhões, incluindo intervenções obrigatórias e ciclos de reinvestimentos e manutenção ao longo de toda execução contratual. Entre as melhorias prioritárias para a Serraria Souza Pinto, destacam-se a revisão geral de todas as instalações, como os banheiros, adequações elétricas, drenagem, acessibilidade e restauração da fachada.

A Fundação Clovis Salgado, por sua vez, continuará cuidando do fomento, produção e difusão das artes no âmbito estadual, além de gerir e fiscalizar o contrato de concessão da Serraria. A concessão da Serraria Souza Pinto também vai garantir novos recursos para a FCS no período em que o vencedor da licitação for o responsável pelo equipamento, através do pagamento anual à FCS de porcentagem da receita bruta auferida pela concessionária.

O secretário de Infraestrutura, Mobilidade e Parcerias, Pedro Bruno, ressaltou que o projeto não trata da privatização da Serraria Souza Pinto, e sim de sua concessão. “Este é um modelo em que o governo ainda mantém propriedade e controle sobre a infraestrutura e o serviço prestado, como gestor do contrato, enquanto na privatização, a propriedade e operação passam a ser exclusivas do setor privado. A concessão da Serraria Souza Pinto representa uma oportunidade para revitalizar um patrimônio histórico, estimular o desenvolvimento econômico local e preservar nossa cultura para as futuras gerações”, considerou.

Após a finalização do período contratual, o Estado voltará à gestão operacional do ativo público, incorporando todas as benfeitorias realizadas no imóvel.

O projeto de concessão da Serraria Souza Pinto foi estruturado pela Fundação Clóvis Salgado, com o apoio da Seinfra, da Secult e da Codemge, em conformidade com as diretrizes do Governo do Estado.

Desde 2019, quando teve início a gestão do governador Romeu Zema, este é o 12º leilão realizado, tornado o estado uma referência no País em volume de projetos concluídos de concessões e parcerias público-privadas.

Espaço Cultural

A Serraria Souza Pinto (Sesop), construída em 1912, é uma das poucas edificações remanescentes dos primeiros tempos da história de Belo Horizonte. De importante interesse cultural e histórico, a edificação integra o conjunto paisagístico e arquitetônico da Praça Rui Barbosa – Praça da Estação.

O prédio passou por intensa restauração e adequação para funcionar como espaço de eventos culturais e corporativos. Desde 1997, sua administração encontra-se sob responsabilidade da Fundação Clóvis Salgado, com a realização de dezenas de eventos a cada ano.

Situada na região central de Belo Horizonte, em local de fácil acesso, a Serraria Souza Pinto tem estrutura de aproximadamente 4 mil metros quadrados de área construída e é adequada à instalação e montagem para acolher eventos dos mais variados formatos artísticos, culturais e empresariais, como grandes feiras, exposições, congressos, shows e festivais. A capacidade máxima de público é de 5 mil pessoas em pé ou 2.500 pessoas sentadas (eventos com mesas e cadeiras).

(Com informações da Agência Minas)



Voltar