ÁREAS DE ATUAÇÃO

BiotechTown impulsiona soluções inovadoras em Biotecnologia e Ciências da vida

Primeiro hub de inovação em Biotecnologia e Ciências da Vida do país, o BiotechTown abriu inscrições para a 3ª edição do Programa de Desenvolvimento de Negócios. Startups de todo o país podem se aplicar para participar do programa de aceleração que tem como objetivo profissionalizar bionegócios e facilitar a entrada e expansão no mercado, fazendo com que soluções em saúde cheguem à sociedade.

Cada startup aprovada receberá uma série de incentivos como o aporte financeiro de R$150 mil para o desenvolvimento do negócio, investimento indireto de R$150 mil em consultoria e mentorias, até R$100 mil em horas de uso da infraestrutura laboratorial e de produção do BiotechTown e amplo apoio no estabelecimento de conexões e networking.

Para participar, as startups devem possuir, preferencialmente, um produto ou tecnologia com prova de conceito laboratorial, comprovação científica ou MVP (mínimo produto viável), podendo ou não estar sendo comercializado. Estas soluções devem ser aplicadas a Biotecnologia (genômica, produtos farmacêuticos, biomarcadores, insumos para diagnóstico, tecnologia celular), dispositivos (equipamentos médicos, tecnologias assistivas, testes e equipamentos para diagnóstico, sensores) ou digital health (telemedicina, tecnologias com uso de AnalyticsBig DataCloud, Rastreabilidade, Interoperabilidade de sistemas).

As inscrições vão até o dia 30 de agosto e devem ser feitas na página do Programa: www.inscrevasuastartup.com.

O Programa

Com metodologia própria e validada, o Programa de Desenvolvimento de Negócios dura doze meses e tem equipe composta por especialistas em biotecnologia, empreendedorismo e inovação que trabalham de maneira hands on com os empreendedores, apoiando nas principais decisões estratégicas e possibilitando conexões com investidores, parceiros e clientes para criar oportunidades reais de negócio.

BiotechTown

Localizado em Nova Lima, o BiotechTown é um hub de inovação voltado exclusivamente para o desenvolvimento de empresas, produtos e negócios nas áreas de Biotecnologia e Ciências da Vida.

Apoiado em conhecimento científico, tecnológico e de mercado, o BiotechTown atende a bionegócios de todos os portes em suas diferentes fases, da pesquisa ao go to market e expansão de mercado.

Além disso, oferece acesso desburocratizado a infraestruturas próprias de laboratório e planta de produção, bem como coworking e salas para empresas do segmento, em um ambiente que promove conexões e impulsiona o ecossistema.

hub é fruto da parceria entre o Governo do Estado e a Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge), a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) e sua agência de inovação, a Fundep Participações (Fundepar), e conta com o apoio da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), da Associação Nacional de Empresas de Biotecnologia (Anbiotec) e do projeto CSul – Desenvolvimento Urbano.

Para mais informações, acesse www.biotechtown.com.



Voltar

A partir desta semana, a Rodoviária de BH disponibiliza ao público três novos elevadores, implantados com investimentos do Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge). Dois deles passam a ligar a área de desembarque ao estacionamento, em uma ação inédita nas quase cinco décadas de existência do Terminal. A iniciativa supre uma carência histórica e oferece aos usuários mais conforto, bem-estar, acessibilidade e segurança. O terceiro substitui um aparelho hidráulico na área de embarque e amplia a oferta de mobilidade aos usuários, que agora têm à sua disposição seis elevadores no empreendimento.

Para todos verem – Foto mostra a estrutura de um dos novos elevadores que liga a área de desembarque e o estacionamento

As obras foram realizadas entre janeiro de 2019 e junho de 2020, pela empresa Fahel Construção Civil, ganhadora do processo licitatório 53/18. Além dos novos elevadores, foram executadas melhorias nas escadas e reforma da Administração, totalizando investimento em torno de R$ 2,1 milhões. As intervenções favorecem as condições de acessibilidade na Rodoviária de BH, em conformidade com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Antes da novidade, os passageiros que estavam na área de desembarque e desejassem embarcar precisavam acessar a saída por meio das escadas e das rampas laterais, a fim de retornar ao interior da Rodoviária e ter acesso à área de embarque. Agora, os dois novos elevadores entre o desembarque e o estacionamento facilitam significativamente a locomoção e o acesso ao hall principal.

Para todos verem – Foto mostra um homem com mochila nas costas e muleta em uma das mãos, entrando no novo elevador, onde se encontra outro usuário que também porta mochila

Para acesso ao embarque, além das escadas de cada plataforma e os três elevadores já existentes (localizados nas plataformas B, E, G), os usuários passam a contar com um novo elevador interligando a área de embarque e o hall principal, próximo à plataforma D. Entre o hall e o mezanino (3º piso), existem, ainda, as esteiras rolantes, que voltaram a funcionar em abril de 2018, após mais de 40 anos inativas.

Inaugurado em 1971 como um dos maiores e mais modernos terminais de passageiros da América Latina, o Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro é responsável pelo transporte de aproximadamente 10 milhões de passageiros por ano. Em condições normais, a estrutura, de mais de 35 mil m², movimenta, diariamente, média de 40 mil pessoas e possui 230 linhas em funcionamento. Com a atual pandemia de coronavírus (covid-19), a movimentação de usuários caiu cerca de 80%.

Para todos verem – Foto mostra um homem entrando no elevador, com três bolsas nas mãos e outra nas costas

Mais qualidade e conforto

Desde março de 2016, a Rodoviária de BH é administrada pela Codemge, por meio de convênio realizado com o Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais (DER/MG). Desde então, a Companhia tem promovido diversas obras, ações e reparos para a adequada manutenção predial e o aprimoramento constante dos serviços e condições oferecidos à população.

Entre as melhorias já realizadas, estão: revitalização dos pisos do hall de entrada e do mezanino; troca de longarinas por modelos mais modernos, semelhantes a cadeiras utilizadas em aeroportos; investimentos no sistema CFTV de segurança e monitoramento eletrônico (instalação de mais de 200 novas câmeras); reforma completa/modernização dos banheiros públicos; revitalização do teto e da infraestrutura elétrica; reforma das esteiras rolantes; substituição do sistema de sonorização; instalação de nova praça de alimentação; construção de auditório; troca de bebedouros; substituição das luminárias (em parceria com a Cemig); melhorias nos estacionamentos superior e inferior, com implantação de cancelas automáticas e revitalização da sinalização. Outras informações: www.codemge.com.br/atuacao/terminal-rodoviario.

Orientações aos passageiros

Em face da pandemia de covid-19, a Administração da Rodoviária de BH solicita a cooperação dos usuários no sentido de que apenas quem for viajar entre no Terminal durante este período. Após as 23h30, o acesso é restrito a usuários com passagens, com entrada concentrada entre as plataformas D e E.

As empresas de transporte têm adequado linhas de viagem e horários, sendo importante que o passageiro as consulte previamente para confirmar as viagens disponíveis. O uso de máscaras também é imprescindível.

A Rodoviária de BH tem adotado várias medidas preventivas e educativas, em alinhamento com as diretrizes legais e em favor do bem-estar dos usuários. Outras informações estão disponíveis em: www.codemge.com.br/nota-rodoviaria-de-bh-e-coronavirus.



Voltar

Ferramenta internacional BIM trará economia aos cofres públicos do Estado e maior qualidade aos empreendimentos mineiros

Minas Gerais passará a contar com uma moderna metodologia utilizada mundialmente pelo setor da construção civil para o planejamento e a gestão de obras, otimizando tempo e investimentos da Administração Pública e elevando a qualidade dos empreendimentos. A Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) e o Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais (DER-MG) celebraram convênio para pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I), com interveniência da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra). O objetivo é implantar, no DER e na Seinfra, e disseminar em Minas Gerais a metodologia internacional BIM (Building lnformation Modeling, ou Modelagem da Informação da Construção), para os processos de obras do Estado.

O BIM envolve um conjunto de ferramentas, processos e tecnologias integradas que permite a criação, a utilização e a atualização de modelos digitais de uma construção, de modo colaborativo. Desse modo, serve a todos os participantes do empreendimento,
do planejamento à operação. O convênio firmado entre DER, Codemge e Seinfra pretende subsidiar a implementação do BIM nas obras públicas do Estado, por meio da criação do Labim, laboratório para inovação, desenvolvimento e pesquisa, contribuindo para a capacitação e a estruturação no setor de obras públicas.

A implantação do BIM nas obras públicas de Minas Gerais propiciará diversos benefícios para o desenvolvimento socioeconômico, a transparência e a gestão eficaz de recursos públicos, como:
• redução de custos para a Administração Pública estadual, devido à maior capacidade de monitoramento e fiscalização;
• diminuição do tempo de realização de obras e serviços de engenharia, mediante um planejamento mais robusto;
• maior qualidade dos empreendimentos;
• incentivo à inovação, à pesquisa científica e tecnológica e à capacitação do setor de construção civil e infraestrutura de Minas Gerais, na busca de uma gestão digital;
• estímulo à evolução tecnológica e à competitividade dos mercados relacionados à construção civil, estimulando o desenvolvimento socioeconômico mineiro;
• elevação da qualidade de compatibilizações de projetos e diminuição de retrabalhos durante as obras;
• redução da possibilidade de ocorrência de erros de projeto, de dimensionamento e do orçamento de obras e serviços de engenharia, otimizando os trabalhos e tornando a Administração Pública mais eficiente;
• agregação de um número maior de informações nos projetos executados na plataforma BIM, as quais podem ser compartilhadas e devidamente monitoradas;
• atualização e maior qualificação de agentes públicos;
• ampliação da transparência no acompanhamento de obras e serviços de engenharia por parte dos órgãos de controle, Ministério Público e Poder Judiciário.

A iniciativa permitirá que o Estado, de maneira planejada, escalonada, responsável e estratégica, passe a exigir essa metodologia em seus futuros processos de contratação de projetos e obras públicas, com prazo para que a cadeia produtiva se adapte à nova tecnologia. A medida poderá representar economia significativa aos cofres públicos e maior efetividade e otimização no cumprimento de contratos.

A ação também está sintonizada com o Decreto Federal 10.306, de 2 de abril de 2020, que estabelece a utilização do BIM na execução direta ou indireta de obras e serviços de engenharia realizada pelos órgãos e pelas entidades da administração pública federal, no âmbito da Estratégia Nacional de Disseminação do Building Information Modelling ― Estratégia BIM BR, instituída pelo Decreto nº 9.983, de 22 de agosto de 2019.

O convênio no 10.971, vigente até junho de 2022, prevê a aquisição de softwares e equipamentos adequados para implementação do sistema BIM, além da implantação do espaço laboratorial Labim. O plano de trabalho também contempla a capacitação dos servidores envolvidos para a implementação da tecnologia no Estado. Como agência indutora do desenvolvimento mineiro, a Codemge está investindo cerca de R$ 1,83 milhão na iniciativa.

BIM: Modelagem da Informação da Construção

Uma das mais novas metodologias utilizadas pelo setor de construção civil para o planejamento e a gestão de obras, o BIM é acompanhado de uma modelagem que permite a elaboração e a visualização de projetos e obras de engenharia em 3D, diferentemente do antigo desenho 2D, ainda adotado pela Administração Pública. Com a tecnologia BIM, é possível criar digitalmente um ou mais modelos virtuais precisos de uma construção/reforma, propiciando melhor análise e controle de suas fases, prazos e o próprio orçamento.

O modelo de projetos gerados por meio dessa nova tecnologia possibilita a obtenção de dados precisos como apoio às atividades de construção, dando maior eficiência aos trabalhos. O uso do BIM, ao aprimorar a gestão de contratos de obras e serviços de engenharia, cria condições para que a atividade da administração e a produtividade das empresas contratadas sejam incrementadas, constituindo um importante recurso para a retomada do crescimento e desenvolvimento econômico. Afinal, o setor de construção civil é responsável pela movimentação de diversas outras áreas da cadeia produtiva.

Segundo dados da Coordenação de Planejamento e Inteligência da Agência para o Desenvolvimento da Indústria no Brasil (ABDI), se ao menos metade das empresas do País adotarem o modelo BIM na próxima década, projeta-se que a economia da construção civil brasileira crescerá 7% — um aumento de R$ 21,9 bilhões no PIB do setor nos valores de 2018.

A metodologia BIM já é utilizada no setor de construção civil, principalmente na iniciativa privada e em países mais desenvolvidos. Cabe ao Poder Público conhecer as características e vantagens dessa nova tecnologia, adotando procedimentos para sua disseminação nos diversos órgãos e entes que integram a Administração, o que, em Minas Gerais, por meio do DER, terá início com a criação do ambiente de inovações do Labim.

Fazem parte do escopo do convênio os investimentos em softwares BIM de Arquitetura e Engenharia nas áreas de edificações e infraestrutura rodoviária, para os possíveis usos de modelagem das condições existentes, estimativas de custos, controle e planejamento 3D, análises locais, design autoral, revisão de projetos, análise estrutural, validação de códigos, coordenação espacial 3D, planejamento de utilização, planejamento de fases (4D), modelagem de registros, gerenciamento de ativos, análise do sistema de construção, programação e projeto de sistemas construtivos.

Soma de esforços

Com foco no estímulo ao desenvolvimento de Minas Gerais, a Codemge é importante parceira do DER-MG e da Seinfra na implantação do BIM no âmbito do Estado. A Companhia promove investimentos estratégicos em atividades, setores e empresas que tenham grande potencial de assegurar, de forma perene e ambientalmente sustentável, o aumento da renda e do bem-estar social e humano dos mineiros. Integrante da Administração Pública Indireta estadual, a Empresa investe em áreas como infraestrutura, logística, novos materiais, tecnologia de informação, ciência e sistemas da computação e software. Sua atuação como agência de fomento à inovação e à pesquisa tecnológica tem caráter complementar à do Estado na alavancagem do crescimento econômico e na geração de novas oportunidades e negócios, potencializando a competitividade de Minas nos cenários nacional e internacional.

A soma de esforços entre Codemge, DER-MG e Seinfra proporcionará ainda mais dinamismo à Administração Pública, em alinhamento com os avanços tecnológicos e industriais, imprimindo maior agilidade na execução de obras e efetivação de serviços públicos. Além disso, no atual cenário nacional de escassez de recursos, é primordial considerar o uso de tecnologias e inovações nos processos de contratação pública, para a obtenção de formas mais eficientes e otimizadas de execução de projetos e fiscalização de obras, contribuindo ainda para a melhoria da cadeia produtiva de outros variados setores ligados à construção.

O convênio permitirá a implantação do BIM nos órgãos de engenharia do Estado, Seinfra e DER, impulsionando essa nova modelagem na Administração Pública mineira. Por sua vez, o Labim será um ambiente de formação e consolidação do conhecimento sobre essa moderna metodologia de planejamento e execução das obras públicas. Esse espaço laboratorial promotor de inovações também será relevante na disseminação do BIM, uma vez que, a além da infraestrutura montada de hardware, software, espaço de coworking e videoconferência, o conhecimento adquirido permitirá que ele desponte como instituição de referência e apoio ao desenvolvimento de empresas públicas e privadas na inovação do BIM em seus processos, de modo a acelerar o uso dessa tecnologia.



Voltar

Governo de Minas Gerais investe R$ 2,7 milhões em projetos de engenharia para o desenvolvimento socioeconômico no norte do Estado

A Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) e o Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais (DER-MG) celebraram um novo convênio de cooperação técnica e financeira, com interveniência da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra). O objetivo é elaborar projetos de engenharia rodoviária para melhoramentos, pavimentação e pontes do trecho entre o município de Januária e o distrito de Pandeiros, na extensão de 48 km da rodovia MGC-479, no norte do Estado.

A elaboração do projeto é o primeiro passo para que a obra de pavimentação possa ser licitada e, ao ser concluída, facilite a mobilidade dos habitantes da região, contribuindo para reduzir desigualdades e favorecer o acesso a serviços essenciais como escolas e hospitais, por exemplo, além de beneficiar o escoamento de mercadorias, estimulando o desenvolvimento socioeconômico. Os investimentos do Governo do Estado na iniciativa totalizam R$ 2.727.137,00, sendo R$ 2.479.215,00 provenientes da Codemge e R$ 247.922,00 oriundos do DER-MG.

O convênio no 10.972 abarca a contratação pelo DER-MG de empresa especializada para a elaboração dos projetos de engenharia rodoviária e tem vigência até junho de 2021. A contratação e a execução das obras propriamente ditas serão definidas posteriormente.

Localização estratégica

Minas Gerais conta com a segunda maior rede de rodovias pavimentadas do País (27.657 km). Principalmente devido à sua localização estratégica, as rodovias mineiras funcionam como artérias para a ligação entre as regiões Centro-Oeste/Norte/Nordeste, bem como para as regiões Sul/Sudeste, além do Mercosul. Por esse motivo, o Estado, por meio do DER-MG e com o suporte da Codemge, vem desenvolvendo diversas ações em prol das estradas mineiras.



Voltar

Dados do balanço da movimentação de passageiros e de ônibus ocorrido no feriado de Corpus Christi em 2020, bem como seu comparativo com os anos anteriores (2019 e 2018), estão disponíveis aqui. Como impacto do distanciamento social causado pela prevenção ao coronavírus (covid-19), a Rodoviária de BH registrou queda de 72% no número de partidas e de 78% no de chegadas, em comparação com 2019. Além disso, houve redução de 80% no volume de embarques e de 85% no de desembarques, em relação à movimentação no ano anterior.

Os destinos mais procurados saindo da Rodoviária de BH foram: São Paulo, São José do Rio Preto e Campinas, no estado de São Paulo; no estado do Rio, a capital, Rio de Janeiro; Vitória, Guarapari e Conceição da Barra, no estado do Espírito Santo; as capitais Brasília, Goiânia e Curitiba. Os destinos mais procurados em Minas Gerais foram: Conselheiro Lafaiete, Divinópolis, Governador Valadares, Itabira, Teófilo Otoni, Juiz de Fora, Itabirito, Montes Claros, São João del-Rei e Ipatinga.



Voltar

Em função do feriado de Corpus Christi, celebrado nesta quinta-feira (11/6), a Rodoviária de BH trabalha com a expectativa é que sejam realizadas em média, 169 partidas diariamente, entre os dias 10 e 15/6, com previsão diária de 2.529 passageiros embarcando. Quanto às chegadas, a expectativa é de que, em média, 156 ônibus por dia cheguem ao Terminal, com cerca de 2.360 passageiros desembarcando diariamente, nesse período.

Ao todo, a previsão é de que aproximadamente 29 mil pessoas transitem pela Rodoviária, no período de seis dias que compreende o feriado em 2020 (de 10 a 15/6). Estima-se que cerca de 1 mil partidas e de 930 chegadas sejam realizadas no Terminal. Além disso, em torno de 15 mil passageiros devem deixar a capital mineira, e 14 mil pessoas devem desembarcar na Rodoviária, durante esse período.

Em relação a 2019, a expectativa, em 2020, é de que, para o mesmo feriado, a Rodoviária registre uma redução de 74% nas partidas, de 82% no número de embarques, de 76% nas chegadas e de 82% no volume de desembarques. A queda prevista na movimentação é reflexo do distanciamento social devido à pandemia do coronavírus (Covid-19).

Os destinos mais procurados saindo do Terminal são: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Campinas, Vitória, Guarapari, Conselheiro Lafaiete, Governador Valadares, Montes Claros, São João del-Rei, Santa Bárbara, Ouro Preto, Itabira, Juiz de Fora e Divinópolis.

Clique aqui e veja os dados detalhados dos anos anteriores e da previsão para este ano.

Orientações aos passageiros

Em face da pandemia do coronavírus (Covid-19), a Administração da Rodoviária de BH solicita a cooperação dos usuários no sentido de que apenas quem for viajar entre no Terminal durante este período. Após as 23h30, o acesso é restrito a usuários com passagens, com entrada concentrada entre as plataformas D e E.

As empresas de transporte têm adequado linhas de viagem e horários, sendo importante que o passageiro as consulte previamente para confirmar as viagens disponíveis. O uso de máscaras também é imprescindível.

A Rodoviária de BH tem adotado várias medidas preventivas e educativas, em alinhamento com as diretrizes legais e em favor do bem-estar dos usuários. Outras informações estão disponíveis em: www.codemge.com.br/nota-rodoviaria-de-bh-e-coronavirus.



Voltar

O presidente Dante de Matos desligou-se da diretoria e dos Conselhos de Administração da Codemge/Codemig. Em 1/6/20, foi realizada uma reunião extraordinária do Conselho de Administração, para eleição de novo presidente do referido Conselho e do Diretor-Presidente para as empresas.

O novo Diretor-Presidente eleito em caráter de interinidade, conforme orientação do acionista Estado de Minas Gerais, é Fábio Amorim da Rocha. Integrante dos Conselhos de Administração da Codemge e da Codemig, Fábio é executivo dos setores elétrico, jurídico e regulatório, com carreira desenvolvida nessas áreas e em outras.

Ainda como resultado da eleição, Sérgio Cavalieri, que já desempenhava a função de conselheiro, foi escolhido o novo presidente do Conselho de Administração.



Voltar

Com investimentos de R$ 13,5 milhões, iniciativas vão oferecer mais conforto e segurança para usuários de rodovias mineiras

A Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) celebrou dois novos convênios com o Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG), com interveniência da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra). Ambos foram publicados este mês e contribuem para oferecer cada vez mais conforto e segurança aos usuários de rodovias mineiras. Ao todo, o Governo de Minas Gerais está investindo R$ 13,5 milhões nas duas iniciativas.

O Convênio 10.953/2020 permitirá a execução das obras de recuperação funcional de 19,94 km do pavimento da rodovia MG-105, no trecho Pavão – Águas Formosas, kms 174,20 a 194,14. A melhoria viária contribuirá para a trafegabilidade e o escoamento da produção da região para centros consumidores nos municípios de Teófilo Otoni, Jequitinhonha e Araçuaí. As obras também vão beneficiar as cidades de Crisólita, Fronteira dos Vales, Machacalis, Bertópolis e Santa Helena de Minas, todas na região do Mucuri.

A ação permitirá também uma melhor ligação entre os estados de Minas Gerais e da Bahia, reduzindo o tempo de viagem e beneficiando uma população de aproximadamente 25 milhões de pessoas. O total investido pela Codemge nesse convênio é de R$ 10 milhões. Com outro montante, oriundo do DER-MG, no valor de R$ 1 milhão, o investimento do Governo do Estado soma R$ 11 milhões. A previsão é de que os trabalhos sejam concluídos em 12 meses.

Por sua vez, o Convênio 10.954/2020 prevê a contratação e a elaboração do projeto de engenharia rodoviária para adequações em pontes do Estado de Minas Gerais. A proposta é verificar as condições, substituindo pontes de madeira por novas estruturas ou reforçando pontes de concreto com restrição de carga, a fim de trazer maior conforto e segurança aos usuários. A iniciativa abarca 11 pontes, nas seguintes localidades:

  • Rodovia LMG-638, entre Riachinho e Garapuava (distrito de Unaí), no Noroeste de Minas, somando quatro pontes;
  • Rodovia LMG-698, entre Cana Brava (distrito de João Pinheiro) e o Entroncamento MG-181, no Noroeste de Minas, duas pontes;
  • Rodovia LMG-714, entre Entroncamento BR-040 e Porto Diamante (na região de João Pinheiro), no Noroeste de Minas, duas pontes;
  • Rodovia LMG-622, entre Serra das Araras (Entroncamento MGC-479, município da Chapada Gaúcha) e Entroncamento para MG-402, no Noroeste de Minas, uma ponte;
  • Rodovia LMG-603, entre Cônego Marinho e Miravânia, no Norte de Minas, uma ponte;
  • Rodovia LMG-747, entre Rio Santo Inácio e Coromandel (Entroncamento MG-188), no Triângulo Norte, uma ponte.

O valor do convênio totaliza R$ 2,5 milhões, sendo R$ 2.272.727,00 provenientes da Codemge e outros R$ 227.273,00 oriundos do DER-MG. O prazo previsto é de 14 meses para que os projetos de engenharia fiquem prontos. A contratação e a execução das obras propriamente ditas serão definidas posteriormente.

Localização estratégica

Minas Gerais conta com a segunda maior rede de rodovias pavimentadas do País (27.657 km). Principalmente devido à sua localização estratégica, as rodovias mineiras funcionam como artérias para a ligação entre as regiões Centro-Oeste/Norte/Nordeste, bem como para as regiões Sul/Sudeste, além do Mercosul. Por esse motivo, o Estado, por meio do DER-MG e com o suporte da Codemge, vem desenvolvendo diversas ações em prol das estradas mineiras.



Voltar

Empreendimento de US$ 56 milhões é encabeçado pela Codemge e Oxis Energy

O Governo do Estado, por meio da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge), e a empresa britânica Oxis Energy acabam de assinar contrato de locação de 15 anos com a Mercedes Benz para instalação de uma fábrica no parque industrial da empresa automotiva em Juiz de Fora, na zona da mata mineira. A Oxis Brasil, nome do empreendimento fruto da parceria, será a primeira fábrica de células de baterias de lítio-enxofre do mundo.

Os trabalhos de adequação do galpão de 20.000 m² que sediará a fábrica começam de imediato, com investimentos da ordem de US$ 56 milhões (cerca de R$ 245 milhões). Os projetos de engenharia estão sendo executados pela Nordika, empresa contratada pela Oxis Energy. A previsão é que a operação se inicie em 2023, com uma produção inicial de 300 mil células de bateria/ano, podendo chegar a 5 milhões/ano. Com o funcionamento da fábrica, serão gerados inicialmente 100 empregos diretos, de alta qualificação.

O município de Juiz de Fora foi escolhido principalmente por sua posição geográfica e facilidades logísticas: a três horas de distância das capitais mineira e carioca; acesso à linha férrea e ao porto do Rio de Janeiro; proximidade de entreposto que simplifica trâmites alfandegários. O local apresenta outras vantagens: trata-se de região com boas escolas e universidades, mão de obra especializada e ampla rede de serviços.

O investimento faz parte das ações da Codemge, desde 2015, para incentivo à indústria de alta tecnologia no Estado. Sobre os benefícios do empreendimento para Juiz de Fora e para Minas, o Diretor-Presidente da Codemge, Dante de Matos, destaca “a transferência de tecnologia, a geração de novos empregos, além da projeção do Estado no cenário econômico internacional em um segmento de vanguarda”. O presidente da Oxis Energy, Huw Hampson-Jones, salienta as oportunidades do mercado de mobilidade elétrica e sustentabilidade, como na aplicação das células em veículos pesados: “Nosso objetivo é auxiliar o governo brasileiro a eliminar todos os ônibus movidos a motores de combustão interna em um período de 25 anos, o que equivale à produção de quatro bilhões de células. O Brasil tem a terceira maior frota de ônibus do mundo, com 700.000 unidades movidas a combustão interna em circulação”, afirma.

Desempenho e aplicações
As células são componentes das baterias, como as utilizadas em veículos elétricos, um dos primeiros mercados a serem focados pela Oxis Brasil. A tecnologia das células foi desenvolvida pela parceira Oxis Energy, empresa britânica de Pesquisa & Desenvolvimento.

Além do segmento de mobilidade, a fábrica atenderá as indústrias de defesa e aeroespacial – de tripulados e não tripulados, drones, transporte público, entre várias outras.

Algumas vantagens das baterias de lítio-enxofre em relação às baterias de íon lítio, mais empregadas no mercado atualmente, são observadas nas aplicações em que o peso é um fator crítico ou a densidade energética elevada é requisitada. As baterias de lítio-enxofre são mais leves e ambientalmente amigáveis, já que não possuem metais pesados em sua formulação. Têm alto valor agregado, embora sejam econômicas, e garantem maior segurança, em comparação a outras baterias. 

Oxis Energy
Fundada em 2005, a Oxis está envolvida no design, desenvolvimento e agora segue em direção à produção comercial das células de lítio-enxofre. Com mais de 43 famílias de patentes, a empresa já garantiu 198 patentes, com mais outras 92 depositadas.

Minas e alta tecnologia
O Governo do Estado e a Codemge têm se dedicado a estimular projetos e oportunidades em setores capazes de revolucionar a economia do estado, como a alta tecnologia.

A Codemge tem promovido investimentos diversificados em novos modelos de negócio e segmentos estratégicos, como biotecnologia e ciências da vida, manufatura aditiva, nanotecnologia, materiais avançados, aeroespacial, defesa e segurança, internet das coisas, eletroeletrônica, telecomunicações, química, ciência e sistemas de computação.



Voltar

O P7 Criativo acaba de lançar um portfólio virtual completo, com informações sobre as empresas e profissionais residentes. Acesse aqui o material e conheça empresas e pessoas que atuam na solução de problemas com inovação, talento e criatividade.

O P7 Criativo

O P7 foi criado para projetar Minas Gerais no cenário da indústria criativa no Brasil e no mundo, com a proposta de alavancar novos negócios, gerar mais emprego e renda, além de incentivar a inovação no Estado. Para cumprir a missão de promover negócios que têm a criatividade, a inovação e o conhecimento como ingredientes fundamentais para a geração de valor, o P7 está criando uma comunidade ativa de empresas, empreendedores e profissionais, principalmente de áreas como audiovisual, moda, software e tecnologia da informação, design, comunicação, arquitetura, games, música, pesquisa e desenvolvimento, arte, cultura e gastronomia.

Nesse ambiente diverso, o P7 age como um facilitador, criando sinergia entre empresas, estimulando a inovação e as interações entre profissionais. Oferece também capacitação empresarial, acesso a programas de apoio e mecanismos de financiamento, assessoria em captação de recursos, estudos e pesquisas de mercado, além de uma estrutura de ponta para sediar empresas e projetos. Saiba mais em www.p7criativo.com.br.



Voltar