ATIVIDADES

Governo de Minas Gerais e Codemig inauguram teatro em Juiz de Fora

2 de março de 2018

Demanda de 30 anos é atendida pelo Governo, com investimento de R$6 milhões; novo equipamento valoriza a cultura e beneficia a sociedade artística

O Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), inaugura o Teatro Paschoal Carlos Magno em Juiz de Fora, no Território Mata. O evento que marca a reabertura do espaço, após mais de três décadas, está agendado para a próxima sexta-feira, dia 02/03, às 19h. O novo equipamento, localizado em área nobre do município (Rua Gilberto de Alencar, perto do Parque Halfeld, na região central), atenderá à sociedade artística local e transformará em realidade um sonho que se manteve vivo ao longo dos anos. O espaço oferecerá praticidade, eficiência e conforto, além de fomentar a produção cultural na cidade. Os investimentos da Codemig na iniciativa foram da ordem de R$ 6 milhões.

O empreendimento também constituirá um novo ambiente de vivência e interatividade e proporcionará à população acesso à fruição artística, com apresentações, formação cultural e diversificadas manifestações de arte, como teatro, dança, exposições e estudos, por exemplo. Além do teatro com 400 lugares, o local conta com galeria de arte, anfiteatro, café e espaço para reuniões e ensaios. A área do Teatro é de 2.080,42 metros quadrados.

Para viabilizar a retomada das intervenções, que estavam paralisadas por mais de 30 anos, o Governo de Minas Gerais, por meio da Codemig, assumiu o financiamento do projeto, mediante convênio realizado entre o Município de Juiz de Fora e a Codemig. A medida atendeu aos anseios da população local, sendo que, em abril de 2015, a Codemig chegou a participar de audiência pública em Juiz de Fora, reunião mediada e organizada pela Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa), com representantes da classe artística, produtores culturais e outros interessados nos assuntos relativos à cultura e às artes. O tema principal do encontro foi a retomada das obras do Teatro Paschoal Carlos Magno por meio de convênio entre Codemig e Prefeitura. A reunião geral foi uma sugestão da Codemig para garantir a expressão do desejo da comunidade.

A ordem de serviço para início das obras complementares do teatro foi assinada em julho de 2015. As obras foram concluídas em janeiro de 2018. Os serviços executados no local abarcaram, por exemplo, instalações elétricas e hidrossanitárias, ar condicionado, luminotécnico, esquadrias, revestimentos internos e externos de pisos, paredes e tetos, além de pintura, execução de palco e instalação de poltronas.

O projeto foi elaborado pelo arquiteto da Secretaria de Obras da Prefeitura de Juiz de Fora, Leonardo de Paula, e pelo escritório Skylab Arquitetos, com suporte da Fundação Nacional de Artes (Funarte). A Vero Construções e Engenharia, vencedora do processo licitatório realizado em dezembro de 2014, assumiu os serviços de conclusão das obras, sob coordenação da Prefeitura.

O Teatro: histórico

A construção do Teatro Paschoal Carlos Magno começou em 26 de fevereiro de 1981. A proposta de conceber um teatro municipal surgiu durante uma apresentação teatral, que contava com a presença, na plateia, do autor, diretor e produtor Paschoal Carlos Magno. Diante do público, Paschoal fez um apelo ao prefeito da época, que presenteasse a cidade com mais um espaço apropriado para manifestações artísticas. No início da década de 1980, a Prefeitura de Juiz de Fora iniciou a construção do teatro. Contudo, problemas estruturais levaram a 30 anos de interrupção da obra, agora concluída com o apoio do Governo de Minas Gerais e da Codemig.

A Codemig

Em consonância com as diretrizes do Governo estadual, a Codemig pauta suas ações, de forma arrojada e moderna, em três grandes eixos estratégicos: Mineração, Energia e Infraestrutura; Indústria Criativa; e Indústria de Alta Tecnologia. A Empresa investe em vários segmentos, como extração de nióbio e terras-raras, levantamento geológico e geofísico, águas minerais, materiais estratégicos e energia, aeroespacial e defesa, biotecnologia, Internet das Coisas, telecomunicações, distritos industriais, turismo de lazer e negócios, moda, gastronomia, audiovisual, música e artes. Sua múltipla atuação está cada vez mais voltada para que riquezas gerem novas oportunidades de investimentos, aumentem a competitividade e propiciem bons negócios para o setor produtivo mineiro.

Fotos: Gil Velloso