ATIVIDADES

Governo de Minas Gerais e Codemig promovem evento inédito de fomento ao setor audiovisual no Estado

5 de maio de 2016

Minas Gerais Audiovisual Expo (MAX) será realizado de 1º a 5 de junho, na Serraria Souza Pinto e no Museu de Artes e Ofícios

O audiovisual está no foco da indústria criativa mineira em 2016. Entre os dias 1º e 5 de junho, a Serraria Souza Pinto e o Museu de Artes e Ofícios, em Belo Horizonte, receberão um evento inédito de fomento ao setor, a Minas Gerais Audiovisual Expo (MAX). A iniciativa do Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, o Sebrae Minas e o Sistema Fiemg/Sesi, tem por objetivo incentivar a geração de negócios audiovisuais, estimulando toda a cadeia de valor do segmento. A Minas Gerais Audiovisual Expo conta com o patrocínio da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) e da Cemig.

A exemplo de iniciativas constantes de estímulo ao audiovisual no País, como o programa Brasil de Todas as Telas, da Agência Nacional do Cinema (Ancine), em parceria com o Ministério da Cultura, a MAX abordará temáticas essenciais com o intuito de articular novos modelos de negócios para o setor. Serão cinco dias de debates, exibição de filmes, exposição de artes visuais e mais de 500 encontros na Rodada de Negócios organizada pelo Sebrae, que tem abrangência nacional e é aberta a realizadores de todos os estados. Em pauta, destacam-se a criação digital e os novos canais de comunicação, inovações tecnológicas, locações, comercialização e difusão de conteúdos, entre outros temas relevantes do segmento.

A realização da MAX vai ao encontro das políticas públicas desenvolvidas pela Codemig e pela Secretaria de Estado de Cultura para o fomento ao setor audiovisual em Minas Gerais, com um foco estratégico para a economia criativa, um dos pilares de atuação do Sebrae. “Esse esforço conjunto visa evidenciar as principais tendências do mercado atual e apresentar a força dessa indústria, que impacta diretamente em segmentos variados da sociedade, como o turismo, a publicidade ou a tecnologia da informação”, afirma Marco Antônio Castello Branco, presidente da Codemig.

“O evento reforça o papel de destaque que Minas Gerais vem alcançando no fomento à economia criativa nacional. O Sebrae Minas participa dessa agenda comum de desenvolvimento e fortalecimento do audiovisual no estado, com projetos para elevar o nível de gestão das micro e pequenas empresas e promover um ambiente favorável à expansão de negócios do setor”, afirma o diretor Técnico do Sebrae Minas, Marden Magalhães.

Além da oportunidade de ampliação de mercado para criadores, produtores e realizadores mineiros, a MAX pretende ser também uma vitrine para o próprio estado de Minas Gerais, apresentando-o como território estruturado e aberto para receber produções de outros estados e países. O evento tem como objetivo sistematizar a articulação de parcerias entre a administração pública e produtores, para facilitar as produções audiovisuais.

“Temos grandes produtores e realizadores e uma riqueza cultural enorme, em Minas. Somos 10% do País, territorialmente e economicamente, um pouco de cada parte do Brasil. Sabemos que o audiovisual é parte importante da indústria criativa e fundamental para a disseminação da cultura de um povo; por isso, o Sesi, integrado ao Sistema Fiemg, acredita na importância da consolidação de uma indústria audiovisual em Minas”, comenta Thiago Maia, gerente de cultura do Sesi.

Rodada de negócios

Coordenada pelo Sebrae Minas e pela Codemig, a Rodada de Negócios da MAX vai gerar oportunidades de comercialização, coprodução e distribuição de projetos. De um lado, estarão criadores, produtores e realizadores; de outro, os principais responsáveis pela distribuição e difusão do conteúdo audiovisual no Brasil. A proposta da MAX é colocar frente a frente criadores e produtores mineiros de conteúdos audiovisuais e os compradores, executivos e tomadores de decisão dos grandes players do audiovisual no País.

Todos os realizadores inscritos previamente por meio de edital proposto pela Codemig terão 20 minutos para apresentar sua proposta individualmente para cada empresa convidada. A partir desses encontros, espera-se a geração de oportunidades de comercialização, coprodução e distribuição de projetos. Ao todo, serão 540 agendamentos, com participação de cerca de 30 empresas âncora do mercado nacional.

A curadoria da rodada de negócios está a cargo da Associação Brasileira de Produtores Independentes de Televisão (ABPITV). A entidade realiza anualmente a Rio Content Market, evento internacional dedicado à produção de conteúdo audiovisual, realizado desde 2011 no Rio de Janeiro, com participação de importantes nomes do mercado nacional e internacional.

Os interessados em participar da Rodada de negócios devem se inscrever previamente até o dia 12 de maio, por meio do site www.minasgeraisaudiovisualexpo.com.br ou na Casa da Economia Criativa do Sebrae (Rua Santa Rita Durão, 1275 – Funcionários).

Painéis e palestras

A MAX oferecerá aos participantes, ao longo dos cinco dias, uma programação com painéis e palestras voltadas para a capacitação técnica e profissional. Com presença de consultores e profissionais de áreas diversas do audiovisual, os encontros vão abordar temas relevantes, como distribuição, modelo de negócios, políticas públicas, desenvolvimento territorial, mercado internacional, licenciamento, legislação e games.

Mostra e exposição sobre o cinema mineiro

Paralela à rodada de negócios, a Serraria Souza Pinto receberá uma mostra com o que de mais novo está sendo produzido no setor audiovisual mineiro. Em uma sala de cinema montada especialmente para o evento, serão exibidos gratuitamente curtas, longas-metragens e até obras em primeiro corte (sem o formato definitivo). A curadoria, assinada por Adyr Assumpção, prevê a programação dividida em cinco formatos: animação, publicidade, televisão, cinema e games. Já no Museu de Artes e Ofícios, será montada uma exposição inédita que contará a história do cinema em Minas Gerais, com curadoria de Fabíola Moulin e Marconi Drummond.

Mercado do Audiovisual no Brasil

Especialistas e profissionais da área do audiovisual seguem otimistas com números do mercado. Segundo o estudo “Impacto econômico do setor audiovisual brasileiro”, elaborado pelo Sebrae, em 2013 o setor do audiovisual foi responsável por 0,57% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, obtendo participação similar à de outros grandes setores, como têxtil, vestuário, autopeças e produtos farmacêuticos, chegando a movimentar em torno de R$ 15,7 bilhões na economia brasileira.

De acordo com a Ancine, autarquia vinculada ao Ministério da Cultura, até 2020 o Brasil pode transformar-se no quinto mercado do mundo em produção e consumo de conteúdos audiovisuais para cinema, televisão e novas mídias — atualmente, o País ocupa o décimo lugar no ranking. Além disso, a estimativa é de que se alcancem 4.500 salas digitais, com capacidade para atrair 220 milhões de espectadores. Conforme dados de 2014 da Ancine, existem 2.833 salas de cinemas na atualidade.

Serviço

MAX – Minas Gerais Audiovisual Expo

1º a 5 de junho de 2016

Local: Serraria Souza Pinto (Av. Assis Chateaubriand, 809, Centro, Belo Horizonte) e Museu de Artes e Ofícios (Praça Rui Barbosa, 600, Centro, Belo Horizonte)

Outras informações: www.minasgeraisaudiovisualexpo.com.br