ATIVIDADES

Orquestra Filarmônica faz ensaio experimental na Estação da Cultura

13 de agosto de 2015

O governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, assistiu, na noite deste sábado (13/12), ao primeiro ensaio experimental da Orquestra Filarmônica, na Estação da Cultura Presidente Itamar Franco, em Belo Horizonte. O complexo é uma das maiores obras de infraestrutura voltadas para a cultura realizadas nos últimos tempos.

Para o governador, o novo espaço é uma grande conquista para nosso estado. “Esta Sala é um passaporte para que Belo Horizonte e Minas Gerais ingressem no circuito internacional da música sinfônica e erudita. É uma obra do maior significado para o nosso Estado no que diz respeito às manifestações culturais”, afirmou.

A Sala de Concertos Minas Gerais – o primeiro espaço da Estação da Cultura a ser entregue – será a sede da Orquestra Filarmônica na capital mineira e credenciará o Estado para os grandes concertos de música sinfônica e erudita do roteiro internacional.

O ex-governador Antonio Anastasia, também destacou a importância da criação do espaço para a cultura mineira. “A Orquestra Filarmônica tem um reconhecimento internacional e a sala não fica devendo a nenhuma outra do exterior. Belo horizonte se tornará um local de visitas de orquestras do mundo afora”, disse.

Também para a secretária de Estado da Cultura, Eliane Parreira, a Sala de Concertos insere Minas no circuito internacional. “Ao mesmo tempo, permite que a Orquestra Filarmônica tenha uma sede própria podendo oferecer uma programação muito maior. Minas Gerais ganha muito se igualando às grandes capitais mundiais”, comentou.

Este foi o primeiro de uma série de testes a serem feitos na sala, para que ela esteja devidamente afinada, garantindo a excelência acústica deste espaço. A sala inaugura suas atividades para o público em geral a partir da temporada de 2015 da Filarmônica.

“A primeira impressão foi muito positiva. Temos aqui o que se espera de uma sala como esta: homogeneidade do som da primeira à última fila”, observou o maestro da Filarmônica Fábio Mechetti.

Sala de Concertos

A acústica da Sala é comparável ao nível das melhores salas do mundo. Além de ter estrutura para receber grandes orquestras, o espaço amplia a capacidade de atuação da Orquestra Filarmônica, bem como seus programas educativos e sociais que visam à formação de público. Desde sua criação, a Filarmônica tem como diretriz a democratização de acesso à música erudita. Já realizou mais de 500 concertos para um público de aproximadamente 600 mil pessoas, das quais 48,9% participaram de forma gratuita. E estes números só tendem a crescer com a nova casa.

Resultado de esforço travado por profissionais de notória competência, do Brasil e do exterior, a Sala Minas Gerais se equipara aos mais consagrados espaços do mundo que se dedicam à fruição e aprendizado da música erudita. Tem capacidade para receber até 1,4 mil expectadores.

Pesquisas

O arquiteto José Nepomuceno, responsável pelo projeto do interior da Sala, reuniu uma equipe que se debruçou numa pesquisa sobre salas de referência ao redor do mundo, na busca de otimizar as soluções. Para garantir, por exemplo, silêncio absoluto para as apresentações a estrutura da Sala é isolada do restante da edificação e o acesso é feito por uma antecâmara com duas portas. Os equipamentos de ar condicionado são isolados em molas especiais; a rede de dutos opera com o ar em velocidade.

O espaço é dotado de áreas de público e técnicas e salas de ensaios individuais e coletivas, além de infraestrutura para gravações de áudio e vídeo, iluminação cênica, pontos de apoio para equipes de televisão, segurança e demais instalações dotadas de acessibilidade aos portadores de necessidades especiais.

Para a temporada de 2015, estarão prontos os três pavimentos de garagens, resultando em um estacionamento com cerca de 500 vagas, que atenderá o público em noites de concertos, importante diferencial em relação às casas de espetáculos existentes na cidade.

Estação da Cultura Presidente Itamar Franco

A Estação da Cultura Presidente Itamar Franco, além da Sala Minas Gerais e sede da Orquestra Filarmônica, abrigará as sedes da Rede Minas de Televisão e da Rádio Inconfidência, emissoras públicas do Estado. Trata-se de um marco histórico para a trajetória das duas emissoras, que nunca tiveram sede própria. Além disso, resulta em economia ao Governo de Minas, que deixará de pagar os alugueis dos prédios que as abrigam. O prédio, de oito andares, está sendo construído com a estrutura totalmente adequada para as atividades de cada uma delas.

O projeto inclui, ainda, um casarão restaurado com serviços de alimentação e uma grande praça pública, que harmoniza o prédio com o seu entorno. A Estação da Cultura está sendo erguida numa área de 14 mil m² e foram investidos cerca de R$ 215 milhões para a construção do espaço, recurso disponibilizado pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). A obra, que teve início em 2013, está dentro do seu cronograma, que sempre previu o início das atividades para 2015.

Fonte: Agência Minas, 13/12/14