ATIVIDADES

Codemig assume gestão do Parque das Águas de Caxambu a partir de outubro

22 de setembro de 2017

Espaço segue com funcionamento normal; atuação da Codemig valoriza a preservação de acervos turísticos e históricos de Minas Gerais, como o diversificado patrimônio de Caxambu

O Parque das Águas de Caxambu, principal atração turística da cidade localizada no Sul de Minas Gerais, ganha nova gestão a partir do dia 1º de outubro de 2017. A Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), proprietária do empreendimento, assume a administração do espaço, que estava sob gestão da Prefeitura Municipal desde 1989. O funcionamento do Parque das Águas e o acesso da comunidade e dos turistas serão mantidos, permanecendo o valor de R$5,00 para os turistas e R$2,50 para a comunidade Caxambuense. O plano da Empresa para o empreendimento, incluindo o balneário, prioriza a recuperação dos ativos, por meio de melhorias em calhas, telhado, equipamentos (duchas, banheiras, sauna) e instalações (rede de água quente, louças, metais, bomba, drenagem), além de limpeza geral e revitalização de pisos e paredes, por exemplo.

Em junho deste ano, o setor de Engenharia da Codemig realizou vistoria no local, para avaliação das condições das edificações e dos equipamentos do parque, visando o recebimento do patrimônio público estadual que se encontrava sob gestão da Prefeitura Municipal. O custo total estimado para colocar em melhores condição de uso foi orçado em aproximadamente R$ 11 milhões, incluindo serviços no balneário (caldeira, pinturas, equipamentos, pisos, paredes, telhado, calhas, instalações, limpeza geral), na área da piscina, nas lojas, na área do pedalinho, nas portarias, nos fontanários e coreto, além de redes internas, quadras, brinquedos, pavimentações, cercamento, regularização do AVCB, desassoreamento do lago, iluminação e instalações elétricas, entre outros.

A equipe de trabalho da Codemig assumirá as operações do parque e do balneário a partir de outubro, em substituição aos servidores da Prefeitura e os de livre nomeação que até então prestam serviços no espaço e estão vinculados à Administração Municipal.

Em paralelo, a Codemig está preparando licitação para captar um parceiro privado visando à formação de uma Sociedade em Conta de Participação para o negócio de águas minerais e seus correlatos. Dados apresentados pela Prefeitura Municipal de Caxambu apontaram que o resultado financeiro do Parque é historicamente deficitário: o resultado de 2013 a 2016 teve déficit acumulado de R$ 1.089.695,64 — parte do prejuízo deve-se ao número excessivo de empregados contratados pela Administração Municipal para atuação no Parque e à não cobrança dos aluguéis referentes a cessão de espaço.

Em meio a esse cenário contábil de reiteradas perdas e frente aos desafios que se impõem ao alcance e à manutenção da viabilidade econômica em um mercado cada vez mais competitivo, a Codemig considerou essencial a construção conjunta de uma solução eficaz e efetiva. A Empresa busca potencializar o dinamismo do empreendimento, ampliar o público-alvo do local e valorizar a eficiência na prestação dos serviços à população, além de contribuir para maior projeção de Caxambu e Minas Gerais no segmento turístico, respeitando sempre as comunidades local e regional.

A Codemig reconhece a importância do Parque das Águas de Caxambu para além das esferas local e regional, valorizando o espaço como rico e diversificado patrimônio. Empresa pública indutora do desenvolvimento de Minas Gerais, a Codemig atua em prol do crescimento econômico sustentável, do bem-estar dos mineiros e da preservação de acervos turísticos e históricos do estado

Investimentos realizados

Em Caxambu, a Codemig realizou levantamentos cadastral e de diagnóstico dos Fontanários e do Coreto. Esse serviço já foi concluído, em maio de 2017, com investimento de R$ 79.043,75.

Também foi providenciada a individualização das drenagens dos três poços da Fonte Mayrink até a Fonte Venâncio, ação concluída em julho deste ano, com investimento de R$ 79.898,80.

Entre 2007 e 2009, foram promovidas obras de reforma e restauro, bem como adquiridos móveis e utensílios para o Balneário de Caxambu, com investimentos da ordem de R$ 7,5 milhões (sete milhões e quinhentos mil reais).

Parque das Águas

O Parque das Águas Dr. Lisandro Carneiro Guimarães é conhecido por suas águas minerais terapêuticas e conta com área de 210 mil metros quadrados, contendo um gêiser, um coreto, esculturas e diversos outros elementos paisagísticos e mobiliários, além de 10 fontanários de águas minerais, cada uma delas com propriedades singulares. Em meio à natureza exuberante, seu ambiente agradável e contemplativo é composto de bosques, jardins e alamedas de grande beleza paisagística, proporcionando oportunidades de lazer, esporte, diversão, tranquilidade e descanso. O empreendimento oferece atrações para todos os gostos e idades, com suas trilhas, quadras de tênis e vôlei, ringue de patinação, playground e teleférico, por exemplo.

O conjunto arquitetônico e paisagístico do Parque das Águas integra o cenário urbano de Caxambu e a história da cidade. Os prédios do balneário, do engarrafamento de águas, dos fontanários e do coreto configuram um rico acervo arquitetônico, abarcando tipologias como ecletismo, art nouveau, art decó, neoclássico e moderno. O parque também conta com mobiliário de estimado valor, a exemplo das obras do Chico Cascateiro, das peças que decoram o balneário e da estátua Ninfa do Lago. Há também jardins, um lago ornamental e outro lago, de maiores dimensões.

Destacam-se as fontes de água mineral, com suas peculiares propriedades medicinais e seus pavilhões que as tornam únicas. São elas: Dona Leopoldina; Conde D’eu e Princesa Isabel; Duque de Saxe; Beleza; Dom Pedro; Viotti; Venâncio; Mayrink; e Ernestina Guedes.

Abordagem histórica

Em 1843, João Constantino Pereira Guimarães, português natural de Guimarães, viticultor e comerciante em Baependi, associou-se a José Inácio Nogueira de Sá, proprietário da Fazenda do Caxambu, onde havia brotado a “água santa”. Os dois começaram a construção de um pequeno povoado, denominado Águas Santas de Baependi, para explorar o potencial daquelas águas milagrosas. O nome do local foi posteriormente alterado para Águas Milagrosas de Baependi, depois Águas Virtuosas de Baependi, mais tarde Águas de Caxambu e, por fim, Caxambu. 

Em 1844, um terceiro parceiro juntou-se à dupla dos pioneiros: Felício Germano de Oliveira Mafra, que estava à frente das obras de melhoria da região. Ao explorá-la, descobriu quatro fontes de água mineral. A primeira delas secou, mas as demais ainda permanecem e fazem parte do Parque das Águas: D. Pedro II (água gasosa), Dona Leopoldina (sulfurosa) e D. Isabel e Conde D’eu (ferruginosa).

Ao longo dos anos, o reconhecimento do valor hidroterapêutico das fontes só crescia, e a cidade recebia também visitantes ilustres, como Duque de Caxias, o senador Teophilo Ottoni e o Dr. Caetano Furquim. Em 1868, a Princesa Isabel, acompanhada do seu marido, Conde D´eu, visitou o local, atraída pela fama curativa das águas da região, na esperança de sarar sua dita infertilidade, tendo por lá permanecido um mês. Anos mais tarde, em 1874, a Princesa conseguiu engravidar pela primeira vez. Ainda que tenha perdido o bebê, atribuiu o fato ao poder medicinal das águas da fonte ferruginosa que seria batizada com seu nome. No ano seguinte, engravidou de seu primeiro herdeiro, D. Pedro de Alcântara. Os efeitos das águas minerais de Caxambu, ricas em ferro e outras substâncias, agiram contra a anemia, o que fazia com que ela tivesse dificuldades de conceber. Na Europa, os efeitos terapêuticos de águas minerais contra a esterilidade já eram comprovados e difundidos.

Em 1919, foi inaugurada a iluminação elétrica parque por sua própria distribuidora de eletricidade. Na década de 1960, o espaço ganhou o nome de Parque das Águas Lysandro Carneiro Guimarães, em homenagem ao médico e ex-prefeito que estudava aquelas águas. O empreendimento foi tombado pelo Iepha em 1998. Em 2002, a Prefeitura Municipal decretou o tombamento do Conjunto Paisagístico e Arquitetônico do Parque das Águas.

A Codemig

Em consonância com as diretrizes do Governo estadual, a Codemig pauta suas ações, de forma arrojada e moderna, em três grandes eixos estratégicos: Mineração, Energia e Infraestrutura; Indústria Criativa; e Indústria de Alta Tecnologia. A Empresa investe em vários segmentos, como extração de nióbio e terras-raras, levantamento geológico e geofísico, águas minerais, materiais estratégicos e energia, aeroespacial e defesa, biotecnologia, Internet das Coisas, telecomunicações, distritos industriais, turismo de lazer e negócios, moda, gastronomia, audiovisual, música e artes. Sua múltipla atuação está cada vez mais voltada para que riquezas gerem novas oportunidades de investimentos, aumentem a competitividade e propiciem bons negócios para o setor produtivo mineiro.

Saiba mais sobre Caxambu na página Comunidades.