ATIVIDADES

Grupo Argentino substitui Grupo EBX na SIX Semicondutores

13 de agosto de 2015

A Six Semicondutores, cuja fábrica encontra-se em fase final de construção no município de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), passará a contar com o grupo argentino Corporación América, que adquiriu os 33,25% das ações da empresa que pertenciam ao Grupo EBX, do empresário Eike Batista.

O anúncio foi feito na última segunda-feira (13/01), no Palácio Tiradentes, pelo governador Antonio Anastasia, e pelo presidente do Grupo, Eduardo Eunerkian. Mais moderna fábrica de semicondutores do Hemisfério Sul, o empreendimento demandará investimentos da ordem de R$ 1 bilhão e foi lançado em novembro de 2012, pelo governador de Minas. Participaram também da reunião o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, e o embaixador argentino no Brasil, Luis Maria Krekler, além do presidente do BDMG, Matheus Cotta, da secretária do Desenvolvimento Econômico, Dorothéa Werneck, e outros representantes do grupo argentino.

“Após as tratativas realizadas nas últimas semanas, a Corporación América vai assumir a participação do Grupo EBX na SIX, um projeto estratégico fundamental, não só para Minas Gerais, mas também para o Brasil, pelo seu perfil econômico e pelo arrojo de seu projeto. Com as circunstâncias que levaram a EBX a ter que deixar o projeto, o BNDES e o BDMG fizeram um trabalho prospectivo, e a Corporación América, que já tem uma identidade muito forte com o segmento, assumiu o projeto. Desse modo, fico muito honrado de estar aqui e de dar as boas vindas de Minas Gerais ao grupo argentino, ao senhor Eduardo, que preside este grande conglomerado econômico. Avançamos, neste momento, com mais este projeto; portanto, é um momento de grande tranquilidade com a continuidade do projeto da SIX, que é muito relevante para Minas e Ribeirão das Neves”, disse o governador Anastasia.

A entrada do grupo Corporación América vai agregar mais valor ao negócio. O grupo já tem projetos similares na Argentina, que utilizam os semicondutores. Nesse sentido, a integração com a produção da SIX em Minas Gerais será importante e estratégica. Trata-se, segundo o presidente da Corporación América, de um grande negócio que colocará processos tecnológicos do Brasil e da Argentina em um novo patamar.

“Estamos almejando uma integração lógica e racional muito interessante e muito feliz que pode concretizar-se graças ao apoio dos participantes, os Governos do Estado e Federal, com a participação do BNDES, além dos demais sócios. Nós teremos um processo de integração que vai nos permitir, como disse o senhor governador, sermos muito mais competitivos a nível mundial. Brasil e Argentina merecem e têm a possibilidade com seus técnicos e profissionais de pensar não somente no presente, mas também no futuro. E esse é um grande projeto de futuro. Muito obrigado ao governador pela atenção que nos mostrou aqui hoje”, afirmou Eduardo Eurnekian.

Com a substituição da EBX pela Corporación América, as demais participações acionárias permanecem inalteradas. A sua unidade industrial permitirá a inserção em um setor de alta tecnologia, com forte demanda nacional e internacional, suprindo a praticamente inexistente oferta de componentes locais. A SIX Semicondutores mantém inalterado seu modelo de negócios, como fabricante de chips para utilização em aplicações industriais, agricultura de precisão, cartões inteligentes, aplicações médicas de ponta e ciências da vida. Seu diferencial competitivo será a criação, o desenvolvimento e a produção de circuitos integrados customizados, operando em nichos e obtendo, consequentemente, margens maiores do que na produção em massa de semicondutores.

A tecnologia que será produzida a partir de Minas Gerais vai beneficiar o Estado não só pela fábrica em si, mas a cadeia produtiva que surgirá em seu entorno e, principalmente, pelos empregos de qualidade que irá gerar, como explica a secretária de Dorothea Werneck, que participou das negociações com os argentinos.

“A questão de emprego é extremamente importante, mas não é número. Não é questão de centenas ou milhares. É questão de padrão de qualidade, e, nesse sentido, acho que Minas, o nosso volume de capital humano, uma vez mais, justificam esse tipo de empreendimento. Lá na Argentina já tem uma unidade em parceria com uma universidade. Nos mesmos moldes, nós vamos também trazer para o desenvolvimento em parceria Argentina-Minas. A gente vai poder dar continuidade a isso”, afirmou a secretária, destacando o papel importante que as universidades mineiras poderão ter no processo.

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, ressaltou o papel importante que a fábrica mineira desempenhará na economia de Brasil e Argentina, já que se trata de um processo de alta tecnologia. “Esse é um projeto que coloca Brasil e Argentina em um estágio, em um patamar mais alto, que lhes permitem ser produtores de semicondutores e, mais do que isso, desenvolvedores de mercado, com tecnologia, porque estamos tratando de chips customizados que atenderão a muitas situações no futuro e em muitos setores das duas economias, além de servir também para exportação”, afirmou.

No início da tarde do último domingo (12/01), o presidente da Corporación América, acompanhado da secretária de Desenvolvimento Econômico de Minas, Dorothea Werneck, de diretores da SIX e de técnicos do Governo do Estado, do BDMG e do BNDES, visitou as obras de instalação da fábrica em Ribeirão das Neves, que estão em processo adiantado e já devem entrar em operação do primeiro semestre de 2015.

De acordo com o grupo argentino, estão sendo providenciados a documentação e ajustes societários necessários para a efetiva transferência das ações do Grupo EBX na SIX Semicondutores para a Corporación América, inclusive a submissão da operação às autoridades competentes, dentre elas o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A conclusão da Operação está sujeita, adicionalmente, ao cumprimento de condições precedentes comuns em operações desta natureza. Tão logo concluída a Operação, será alterada a denominação social da Companhia.

Fonte: Agência Minas, 13/1/2014