ÁREAS DE ATUAÇÃO

Governo de Minas Gerais e Codemge abrem Palácio das Mangabeiras ao público pela primeira vez com a 25ª CASACOR

23 de agosto de 2019

Cerca de 500 profissionais trabalham para que o espaço receba 70 mil pessoas na maior mostra de arquitetura e decoração das Américas, a partir do dia 3/9

Em iniciativa inédita, o Governo do Estado e a Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) vão abrir as portas do histórico Palácio das Mangabeiras ao público, com a 25ª edição da CASACOR Minas Gerais. Maior mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo das Américas, a ação será realizada de 3 de setembro a 13 de outubro, no espaço tradicionalmente utilizado como residência oficial de governadores mineiros, em Belo Horizonte. Segundo a organização do evento, cerca de 500 pessoas estão trabalhando a todo vapor no local que sediará a mostra. A expectativa é receber ao menos 70 mil pessoas.

O diretor-presidente da Codemge, Dante de Matos, ressalta que a Companhia assumiu a gestão do Palácio das Mangabeiras em 12 de junho deste ano, com o objetivo de alcançar mais eficiência na administração do espaço e melhor aproveitamento do imóvel. “Como empresa pública indutora do desenvolvimento, a Codemge tem, entre seus nichos de atuação, o fomento à indústria criativa e ao turismo, incluindo a administração de empreendimentos e tendo inseridas em seu objeto social a gestão patrimonial de bens imóveis e a exploração comercial de espaços sob sua responsabilidade”, pontua.

Após manifestação de interesse dos organizadores da CASACOR na utilização do Palácio, a Codemge deu sequência às tratativas para oficializar a parceria. O diretor executivo da CASACOR Minas Gerais, Eduardo Faleiro, salienta que a abertura do espaço ao público é resultado de uma união de esforços que inclui a Codemge. “A CASACOR está muito feliz, é um ano histórico. A gente espera receber toda a cidade, para conhecer um lugar emblemático e simbólico”, convida. “É um marco para nós, um ano especial. É o evento mais antigo da cidade, num local à altura dessa comemoração”, destaca ele, ao frisar que o evento anual é realizado no estado há 25 anos, ininterruptamente.

Nesta edição, segundo ele, o público vai poder visitar uma CASACOR diferente, que ocupa uma grande área externa, havendo vários ambientes com jardins e plantas de diferentes espécies. Além disso, aproximadamente 55 ambientes vão ocupar desde a área externa dos jardins ― mais de 4 mil metros quadrados ― até o próprio Palácio, que preserva nesta edição todos os temas originais. “O público vai poder conhecer o Palácio como ele é ― as salas, a cozinha, os quartos, sem nenhuma modificação arquitetônica”, afirma.

Nos dias que antecedem a 25ª CASACOR, o ritmo intenso de trabalho no Palácio convive com a calmaria da Serra do Curral. Toda a parte estrutural do evento está praticamente pronta, de acordo com Faleiro. No momento, estão sendo providenciados o plantio de gramas e flores, a limpeza fina do local e a conclusão da decoração. “Agora é que começam a chegar sofás, poltronas, adornos, obras de arte. Então, é a hora de finalizar esses detalhes, com a mão dos decoradores, esse capricho, esse olhar cuidadoso, e o resultado vai ser muito incrível”, realça.

Para além de uma mostra de arquitetura e decoração, a iniciativa vem com outras diversas atrações. “Vai ter restaurante, bar, café, área de palestras, workshop, chefs de cozinha ao vivo. Então, é um programa completo, para que as pessoas possam passar um final de semana ou um dia inteiro andando por esse local”, comenta Faleiro. Outras informações acerca da mostra e da aquisição de ingressos podem ser obtidas no site da CASACOR: casacor.abril.com.br/mostras/minas-gerais.

Preservação e patrimônio

O convênio de cooperação celebrado em junho entre o Estado e a Codemge destaca a importância da adequada manutenção e preservação do Palácio das Mangabeiras, que tem projeto inicial de autoria do arquiteto Oscar Niemeyer, com jardins planejados pelo paisagista Roberto Burle Marx. Além do evento, a proposta é que a CASACOR promova benfeitorias, obras de infraestrutura, restauro, recuperação, manutenção e vigilância do espaço a ser ocupado por ela durante o período médio de seis meses ao ano, pelos próximos quatro anos.

Durante a 25ª edição da mostra, o público vai poder conferir o resultado do trabalho, promovido pela CASACOR, de resgate e restauro do projeto paisagístico e arquitetônico do Palácio. Uma parte do jardim, inclusive, já poderá ser vista com as espécies originais, em conformidade com o desenho de Burle Marx.

Para o diretor da CASACOR, o evento é uma oportunidade de abrir a porta de edifícios emblemáticos, que todos têm vontade de conhecer. “Só valorizamos aquilo que conhecemos. Então, temos uma luta muito grande na valorização do patrimônio histórico e consideramos a importância de que a população conheça, entre, entenda a beleza e ajude, de uma forma conjunta, a preservar mais o que ainda nos restou de memória da cidade”, conclui.

Palácio das Mangabeiras

Situado na Rua Professor Djalma Guimarães, no Bairro Mangabeiras, o Palácio foi inaugurado em 1955, durante a gestão do então governador mineiro Juscelino Kubitschek. O edifício e sua área adjacente pertencem ao perímetro de tombamento do Conjunto Paisagístico da Serra do Curral, protegido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Desde a inauguração, o local vinha servindo de residência aos chefes do Executivo mineiro. Em janeiro de 2019, o governador Romeu Zema optou por residir em outro imóvel e dar uma destinação mais ampla e democrática ao Palácio, que tem 42 mil metros quadrados de área.

O imóvel foi desafetado por meio do decreto nº 47.667, de junho de 2019. Com a desafetação, sua natureza foi alterada, deixando de ser um bem de uso exclusivo da Administração Pública e podendo agora ter outros usos, desde que autorizado por esta. Pelo convênio firmado entre o Estado e a Codemge, cabe à Companhia realizar a gestão, a operação e a exploração do imóvel, incluindo a manutenção de suas características arquitetônicas e em compatibilidade com a estrutura existente. A administração do Palácio pela Codemge será temporária, até que sejam concluídos estudos acerca da destinação definitiva a ser dada ao local. O documento tem vigência de quatro anos e prevê a garantia de segurança e vigilância de toda a área do imóvel.